Na L.S.F Informática, você encontra manutenção preventiva e corretiva de computadores, vendas de produtos de limpeza (Vassouras, rodos, limpa teto, esfregão, cabos para vassouras, cloro em gel, detergente, água sanitária, desinfetante, sabão de coco, amaciante, sabão gel pastoso, veja, limpa alumínio, soda líquida, cera líquida, pano de chão, entre outras variedades) temos xerox, impressões, plastificações, recarga de celulares, vendas de acessórios para celulares e computadores, divulgação de publicidade volante, criação e vendas de sites e lojas virtuais e outras variedades.
BolsonaroGovernoINFORMÁTICASegurançaSuperinteressanteTecnologia

Autoridade Nacional de Proteção de Dados é aprovada na Câmara

A Câmara aprovou na noite de ontem (28) a criação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ADNPD).

A Câmara aprovou na noite de ontem (28) a criação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ADNPD). Agora, a matéria segue para análise do Senado para ser decidida até o dia 03 de junho, caso contrário, perderá validade.

“Diferente do pensado inicialmente, a ADNPD não será independente”

 

O relator do texto aprovado pela Câmara deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), nota que o debate no Brasil fica em sintonia com o que acontece no mundo, segundo a Agência Brasil. “Cento e vinte países, hoje, possuem marco regulatório sobre esse tema, a partir de 2020 serão 134 países, e, desses, 80% possuem órgãos supervisores ou reguladores com autonomia.

 

Por quê? Porque eles regularão não apenas agentes econômicos, não apenas empresas, mas regularão, sobretudo, governos municipais, estaduais, o Governo Central. É muito comum as empresas fazerem muito investimento em segurança, porque a privacidade de seus clientes é o negócio próprio delas. Vai ser importante que os governos tenham a mesma responsabilidade no tratamento desses dados”.

A ADNPD servirá para regulamentar e fiscalizar o tratamento de dados por empresas. Por exemplo, criará diretrizes para uma Política Nacional de Proteção de Dados Pessoais e Privacidade, aplicará sanções e promoverá ações ao lado da população.

Diferente do pensado inicialmente, a ADNPD não será independente. Ela fará parte da estrutura da Presidência da República e terá Conselho Diretor formado por cinco membros designados pelo presidente com mandato de quatro anos.

Veja abaixo como será formado o conselho:

  • – seis representantes do Executivo Federal
  • – um representante indicado pelo Senado Federal
  • – um representante indicado pela Câmara dos Deputados
  • – um representante indicado pelo Conselho Nacional de Justiça
  • – um representante indicado pelo Conselho Nacional do Ministério Público
  • – um representante indicado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil
  • – quatro representantes da sociedade civil com atuação comprovada em proteção de dados pessoais
  • – quatro representantes de instituição científica, tecnológica e de inovação
  • – quatro representantes de entidade representativa do setor empresarial ligado à área de tratamento de dados pessoais.

Fonte: https://www.tecmundo.com.br/seguranca/141882-autoridade-nacional-protecao-dados-aprovada-camara.htm

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar