BolsonaroMeio AmbienteNaturezaSaúdeSuperinteressante

Desastre ambiental afeta Rio Casca e provoca mortandade de peixes

Policia Ambiental investiga o crime e deve anunciar os culpados hoje.

Um desastre ambiental, ainda de proporções desconhecidas, a contaminação das águas do Rio Casca, preocupa a população da cidade de mesmo nome, localizada na Zona da Mata mineira, que teme que a água para ser consumida esteja contaminada.

O acidente aconteceu, segundo o vereador Alexandre Pinto Coelho (PT), na noite de quinta para sexta-feira. “A primeira hipótese é de um rompimento de uma barragem de dejetos suínos. A Polícia Ambiental foi acionada e devem dar um parecer final nesta segunda-feira.

Um desastre ambiental, ainda de proporções desconhecidas, a contaminação das águas do Rio Casca, preocupa a população da cidade de mesmo nome, localizada na Zona da Mata mineira, que teme que a água para ser consumida esteja contaminada.

O acidente aconteceu, segundo o vereador Alexandre Pinto Coelho (PT), na noite de quinta para sexta-feira. “A primeira hipótese é de um rompimento de uma barragem de dejetos suínos. A Polícia Ambiental foi acionada e devem dar um parecer final nesta segunda-feira.

Segundo o Secretário Municipal de Agricultura, Pecuária e Meio Ambiente de Rio Casca, Amon Moreira, primeiro se percebeu a mudança da coloração da água. Logo depois, surgiram os peixes mortos. Por isso, a Copasa foi acionada, e segundo o primeiro parecer, a água seguiria própria para consumo.

“O abastecimento de água para consumo da população não foi comprometido, sendo seguro o consumo da mesma”, diz a Copasa e a Agência Nacional das Águas (ANA).

Moradores, no entanto questionam esse laudo, alegando que não foram só os peixes que morreram, mas também capivaras. De toda forma, uma investigação segue sendo feita pela Polícia Ambiental.
A propriedade responsável pelo desastre localiza-se em Urucânia, próximo à usina Jatiboca. Já se sabe que os danos são enormes, pois afetou a flora e fauna aquática.

Este é o quarto acidente no Rio Casca desde meados do século passado. O mais grave deles, há alguns anos, foi quando houve um rompimento na Usina Jatiboca, cujos rejeitos tiraram o oxigênio da água, segundo o vereador Alexandre.

Fonte
EM

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios