Na L.S.F Informática, você encontra manutenção preventiva e corretiva de computadores, vendas de produtos de limpeza (Vassouras, rodos, limpa teto, esfregão, cabos para vassouras, cloro em gel, detergente, água sanitária, desinfetante, sabão de coco, amaciante, sabão gel pastoso, veja, limpa alumínio, soda líquida, cera líquida, pano de chão, entre outras variedades) temos xerox, impressões, plastificações, recarga de celulares, vendas de acessórios para celulares e computadores, divulgação de publicidade volante, criação e vendas de sites e lojas virtuais e outras variedades.
BolsonaroCoronavírusEducaçãoINFORMÁTICASuperinteressanteTecnologiaTimóteoVale do Aço - MG

78% das universidades estão no ambiente virtual, aponta pesquisa

De acordo com a ABMES, 89% dos estudantes das instituições particulares acompanham as aulas ao vivo. Crise financeira também impacta o setor.

A ABMES (Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior) em parceria com a Educa Insights apresenta nesta quinta-feira (7) a segunda etapa da pesquisa que avalia o impacto do isolamento causado pelo novo coronavírus no ensino superior privado no país. Essa etapa da pesquisa foi realizada entre os dias 27 e 30 de abril, com 1.513 pessoas, em todas as regiões brasileiras.

Após 45 dias do início da quarentena, 78% das instituições de ensino superior particulares do país migraram suas atividades presenciais para aulas virtuais. As outras 22% preferiram optar por suspender as aulas ou o semestre. “O que chama a atenção nesta etapa da pesquisa é que 89% das aulas são ao vivo, percebemos que em pouco mais de um mês houve um crescimento no uso de ferramentas de comunicação”, explica Celso Niskier, presidente da ABMES.

A pesquisa aponta que 61% desses estudantes têm aulas exclusivamente ao vivo. Outras 28% utilizam tanto o formato simultâneo quanto atividades gravadas. E 11% utilizam exclusivamente as aulas offline, usado na EAD (Educação a Distância). Segundo os dados analisados, 59% dos alunos são favoráveis à experiência online. “O setor precisou se mobilizar em caráter emergencial e os estudantes compreenderam a situação”, avalia Niskier. No entendimento da ABMES, o isolamento trouxe como vantagem o uso das ferramentas de tecnologia. “Tudo indica que vamos caminhar para o ensino hídrido no pós-pandemia.”

A pesquisa também aponta o impacto da crise econômica nos estudantes e instituições. 91% dos alunos ouvidos pretendem continuar. 65% afirmaram não ter sofrido impactos significativos com a pandemia, no entanto, 20% informaram ter perdido o emprego em função da crise. E 15% deste total informou que pretende deixar ou já deixou o curso. “Percebemos que as instituições estão negociando com os estudantes que perderam sua fonte de renda e 1/4 conseguiu algum tipo de benefício”, diz Niskier. “Algumas optam pelo parcelamento das mensalidades, outras dão descontos pontuais”. A ABMES orienta que as universidades negociem caso a caso com os estudantes.

Fonte: R7

‘‘Disse Abraão a seus servos: Fiquem aqui com o jumento enquanto eu e o rapaz vamos até lá. Depois de adorarmos, voltaremos.’’ Gênesis 22:5 (para entender, clique aqui, assista ao vídeo e se surpreenda).
Fonte
Márcio Antoniassi

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar