Aqui tem ofertas tops todos os dias!
CidadãoEstudosFamíliasINFORMÁTICAInternetPais&FilhosPessoasSegurançaSistemas OperacionaisSoftwaresSuperinteressanteTecnologiaTimóteoVale do Aço - MG

Uma Em Cada Quatro Pessoas É Alvo De Hackers Enquanto Viaja, Mostra Pesquisa

Levantamento de empresa especialista em cibersegurança evidencia os perigos por trás do acesso a redes públicas, como de aeroportos e ferrovias.

Nem mesmo durante o tempo programado para relaxar e curtir dias de descanso é possível deixar de lado a segurança no universo digital. De acordo com uma nova pesquisa da NordVPN – especialista no assunto –, um em cada quatro viajantes é hackeado ao usar wi-fi público em viagens para o exterior. A maioria desses ataques acontece enquanto as pessoas estão em estações de trem, rodoviárias ou aeroportos.

É que, entre um voo e outro, ou naquela parada na estação, o smartphone segue como ferramenta de distração. “É típico rolar a tela do celular enquanto espera por um voo ou trem. No entanto, quando estão de férias, as pessoas tendem a esquecer a segurança on-line”, alerta Daniel Markuson, especialista em segurança cibernética da NordVPN. “Os hackers aproveitam justamente esses momentos e usam as fraquezas da rede wi-fi pública em aeroportos e estações para colocar as mãos em dados pessoais ou corporativos confidenciais”, acrescenta.

Os perigos por trás das redes públicas

Os viajantes são alvos fáceis quando se trata do acesso a conexões públicas. Segundo Daniel Markuson, os hackers conseguem enganá-los mais facilmente porque na maioria das vezes as pessoas não sabem qual é o nome legítimo da rede em determinado lugar no exterior. Assim, os cibercriminosos podem configurar pontos de acesso falsos conhecidos como “gêmeos do mal”. Em um aeroporto, por exemplo, se um viajante se conectar a esse “wi-fi”, todas as suas informações pessoais, incluindo detalhes do cartão de pagamento, e-mails privados e outras credenciais, serão capturadas.

No entanto, redes públicas e legítimas também são inseguras porque ainda estão sujeitas ao acesso de hackers. Isso porque eles podem se conectar a qualquer momento, bisbilhotar a atividade on-line dos usuários e roubar suas senhas e informações pessoais. Esse tipo de ataque é chamado de man-in-the-middle, quando um cibercriminoso coloca suas armadilhas entre a conexão do dispositivo de uma pessoa e o ponto de wi-fi.

“A única maneira de proteger o dispositivo contra ataques man-in-the-middle é usando VPN. Nossa pesquisa mostra que mais de 78% das pessoas não usam VPN enquanto estão conectadas ao wi-fi público em viagens, o que aumenta a vulnerabilidade a ataques de hackers”, diz Daniel Markuson.

Como os viajantes podem se proteger?

Embora qualquer wi-fi público represente riscos aos dados pessoais, o acesso a esses pontos ainda é uma necessidade para muitos viajantes. Por isso, especialistas da NordVPN listaram três dicas que os usuários podem colocar em prática para manter os dispositivos protegidos durante as viagens:

1- Usar VPN, ou seja, uma rede privada virtual. Trata-se da melhor maneira de garantir a segurança dos viajantes em uma conexão wi-fi aberta. O serviço criptografa dados e não permite que terceiros interceptem as informações.

2- Desativar as conexões automáticas. Isso impedirá o acesso a uma rede que não pretendia.

3- Não compartilhar credenciais. Os viajantes gostam de fazer reservas em movimento porque é conveniente, especialmente se tiver muito tempo livre antes de pegar um voo. No entanto, essa iniciativa torna os dados mais vulneráveis, por isso não é recomendado reservar hotéis ou passagens aéreas enquanto estiver conectado a uma rede pública. Um invasor pode capturar as credenciais do banco on-line ou as informações do cartão de crédito.

Website: https://colinadosipes.com.br/

Leia o artigo anterior: Pastores louvam ao ganhar bicicletas, unico transporte para pregar em aldeias na africa.

Fonte
Dino
Tags

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Jesus te ama! A mentalidade da carne é morte, mas a mentalidade do Espírito é vida e paz. Romanos 8:6
Fechar